Luís Graça & Camaradas Subsídios para a história da guerra colonial > Guiné (13) > Guileje

 

 

Província Portuguesa da Guiné > Carta dos Serviços Cartográficos do Exército (1961)

 Mapa de Guileje (1956)

 Restantes mapas

 

O nosso álbum de fotografias

 

 

Guileje > CACAÇ 2617 (1970/71), CCAÇ 3477 (1971/73), CCAV 8350 (1972/73) (a)

 

(a) Um especial agradecimento a: (i)  Carlos Schwarz, fundador e director executivo da organização não-governamental AD - Acção para o Desenvolvimento,  que deu um contributo valioso para a construção desta página, dedicada a Guileje, ao  disponibilizar amavelmente algumas das  muitas fotografias que ilustrem ao seu Projecto Guileje; (ii) Nuno Rubim, coronel na reserva, que em 1966 era capitão, comandante da Companhia de Comandos sedeada em Brá; (iii) Virgínio Briote, nosso camarada e amigo, que se pôs em contacto com o seu antigo capitão, o qual por sua vez disponibilizou um velho mapa do quartel de Guileje (1966)

 

 

 Guiné > Guileje > 1966:  Planta do aquartelamento. Orientação Norte-Sul. Guileje ficava entre Mejo, a noroeste, na estrada que dava a Bedanda; Gadamel ficava a sul, ou sudeste, mesmo na fronteira. A localidade e o aquartelamento de Guileje eram cortados pela estrada que ligava a Mejo (à esquerda) e a Gadamael (à direita). Por Guileje passaram diversas undidades, as duas últimas terão sido a CCAC 2617 (1970/71) e a CCAV 8350 (1972/73), esta uma unidade constituída essencialmente por soldados açorianos.

©  Nuno Rubim (2005)

 

  Guiné > Guileje >  1966:    Foto aérea. Pista de aviação, ao fundo, do lado direito. Orientação oeste-leste. Em primeiro plano, a rede de arame farpado, os abrigos subterrâneos, a tabanca, e a meio as principais instalações das NT. O aquartelamento era atravessado pela estrada Mejo (à direita) - Gadamel (à esquerda). O edifício de maior volumetria, ao fundo, ladeando a estrada, deveria ser o correspondente ao edífico J, na planta do coronel Nuno Rubim. Ao lado do edifício J parece descortinar-se o espaldão do morteiro 80. Nesta época não havia ainda peças de artilharia (obus 14).

"Entre 18 e 22 de Maio de [1973], Guileje foi bombardeada 36 vezes. Uma mensagem de 21 de Maio descreve que o interior do aquartelamento tinha sido atingido durante uma flagelação com 200 impactos de granadas, que causaram "grandes danos materiais". Indica, nomeadamente, que foram destruídos todas as antenas de transmissões, dois depósitos de géneros, o forno da cozinha, tabancas, celeiros, arroz da população, havendo abrigos atingidos e danificados, bem como a secretaria, depósitos de artigos da cantina. Impactos houve que acertaram mesmo em valas-abrigos" (Fonte: post de 2 de Julho de 2005 > Guiné 69/71 - XCI: Antologia (6): A batalha de Guileje e Gadamael )

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

  Guiné > Mapa (pormenor)  >  1961:    Posição relativa de Guileje e de Gadamel, no sudoeste da Guiné, na fronteira com a actual Guiné-Conacri. Sobre a batalha de Guileje e Gadamel, vd post de 2 de Julho de 2005,  em Luís Graça & Camaradas > Blogue-fora-nada

 

  Guine > Guileje > c. 1970 > Dois militares portugueses, junto ao Obus 140. Segundo informação do Carlos Schwarz, fundador e director executivo da AD, "a fotografia junto do Obus 140 foi-me dada por um militar português que lá esteve entre 70 e 71, na CCAÇ 2617, de nome Abílio Alberto Pimentel da Assunção, que é um dos 2 militares". A esta companhia deve-se ter seguido a CCAV 8350 (1972/73), uma unidade constituída essencialmente por soldados açorianos.

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 

 Guiné > Região de Tombali > Guileje > Crachá dos Gringos de Guileje : a açoriana CCAÇ 3477 (1971/73)

Foto:  © Amaro Munhoz Samúdio (2006)

 

 

  Guine > Guileje > 1970 > "Junto foto do meu arquivo referente a uma das alturas em que estive em Guileje, datada de Maio de 1970. Em primeiro plano, a rede de protecção em arame farpado. Atrás, abrigos e  porta de armas. Vêm-se ainda os telhados, da esquerda para a direita, da caserna, do refeitório e do posto de transmissões"

 © João Tunes  (2006)

 

 

 Guine > Guileje > 1973:  Tabanca onde viviam cerca de 600 civis antes do abandono do aquartelamento em Maio de 1973. Em primeiro plano, do lado direito, um cadáver num esquife, coberto por um pano branco,  Não se sabe se vítima dos mais de três dezenas de bombardeamentos que atingiram Guileje entre 18 e 22 de Maio de 1973.

 ©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

Guine > Guileje > 1973:  De 18 a 22 de Maio de 1973, o aquartelamento de Guileje foi cercado pelas forças do PAIGC (Op Amilcar Cabral), obrigando as NT (CCAV 8350, 1972/73), a abandoná-lo, juntamente com cerca de 600 civis.

 ©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 Guiné-Bissau >  Guileje > Antigo aquartelamento  das NT: cápsula de um obus 14

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 Guiné-Bissau >  Guileje > Antigo aquartelamento  das NT:  restos de um  morteiro,

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 Guiné- Bissau > Antigo aquartelamento de Guileje (2005). Na foto, vêm-se dois guineenses, de nome Abubacar Serra e José Filipe Fonseca, que são associados da AD e os grandes dinamizadores do Projecto Guileje, junto aos restos do brasão da Companhia de Cavalaria que defendia Guileje: a CCAV 8350, (19)72/74, Piratas de Guileje (as inscrições ainda são perfeitamente legíveis)... 
©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

   Guiné-Bissau >  Guileje > Localização do antigo aquartelamento  das NT. Além do interesse histórico, arquelógico, cultural e sentimental, o projecto Guileje tem uma componente ecológica muito importante, podendo contribuir para o desenvolvimento sustentado da região sul da Guiné-Bissau (por exemplo, ecoturismo). De facto, o sítio integra-se  numa zona ecologicamente rica e sensível, o Maciço Florestal do Cantanhez

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 Guiné-Bissau >  Guileje > Restos de edifícios do aquartelamento  das NT

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

  Guiné-Bissau >  Guileje > Antigo aquartelamento  das NT:  restos de instalações .

 ©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 Guiné-Bissau >  Guileje > Antigo aquartelamento  das NT:  a floresta voltou a tomar conta do lugar

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

    Guiné-Bissau >  Guileje > Antigo aquartelamento das NT: restos de um abrigo subterrâneo

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 

    Guiné-Bissau >  Guileje > Antigo aquartelamento  das NT:   restos de uma viatura

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 Guiné-Bissau >  Guileje > Um antigo guerrilheiro do PAIGC que participou no cerco a Guileje

©  AD - Acção para o Desenvolvimento > Projecto Guileje (2005)

 

 

Para saber mais:

Guiné 69/71 - XCI: Antologia (6): A batalha de Guileje e Gadamael (2 de Julho de 2005)

Guiné 63/74 - CCXXXII: Os sitiados de Guileje (6 de Outubro de  2005)

Guiné 63/74 - CCXXXI: Projecto Guileje (1): o triunfo da vida sobre a morte (6 de Outubro de 2005)

Guiné 63/74 - CCLVII: Projecto Guileje (2): arquitecto paisagista, precisa-se! (3 de Novembro de 2005)

AD - Acção para o Desenvolvimento (Bissau) > Guiledje: Ideias para um Projecto de Reabilitação

 

 

 

 

Links

Sítios sobre a Guerra colonial

Outras páginas

Sítios sobre a Guiné-Bissau

Ex-combatentes  > Lista de contactos

Mensagens

  

Índice

 

 

Última actualização: 10  de Outubro de 2006  / Last update: Octyober 10,  2006  

© Luís Graça (1999-2006) .  E-mail: luis.graca@ensp.unl.pt

|    index   |  textos_papers  |  links   |    forum    |   pst_whp   |

|    dados_data   |  historia_history   |   citações _quotations   |    antologia_anthology   |   cvitae  |

| guiné_guerracolonial|