Comunidade

Centro Colaborador da OMS para a Educação, Investigação e Avaliação da Segurança e Qualidade em Saúde

ENSP-NOVA

 

 

A Organização Mundial da Saúde designou a Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa como Centro Colaborador da OMS para as questões da Educação, Investigação e Avaliação da Segurança e Qualidade em Saúde no dia 11 de junho de 2020. O Centro Colaborador é constituído por uma equipa multidisciplinar que integra professores, investigadores, alunos de doutoramento e mestrado, decisores políticos e profissionais de saúde dos diferentes níveis de cuidados. O Coordenador do Centro Colaborador é o Professor Paulo Sousa.

 

Os anos 2020 e 2021 foram atípicos devido a todas as restrições decorrentes da pandemia por COVID-19. Deste modo, algumas das atividades previstas não foram realizadas, outras foram adiadas ou sofreram alguns atrasos na sua execução. No entanto, este também foi um ano em que importantes passos foram dados na área de Segurança dos Doentes, sendo disso exemplo a ação concreta para eliminar danos evitáveis ​​na prestação de cuidados de saúde, adotando o primeiro WHO Global Patient Safety Action Plan 2021-2030, aprovado na World Health Assembly realizada em 28 de maio de 2021. Além disso, 2020/2021 foi também um período de adaptação e organização do grupo de trabalho como Centro em Colaboração com a OMS, que foi muito facilitado pela boa dinâmica de trabalho e relacionamento entre os elementos da equipa e destes com a equipa da OMS.

 

Atividades planeadas para 2020-2022:

a) Colaborar na elaboração da versão revista do WHO Patient Safety Curriculum Guide, iniciativa coordenada pela OMS e pelo Imperial College team (Global Patient Safety Collaborative, Centre for Health Policy, Institute of Global Health Innovation);

b) Contribuir para o reforço e a divulgação da Framework on Patient Safety and Family Engagement;

c) Apoiar as atividades da OMS na capacidade de atuação na área da segurança do doente, principalmente, no âmbito de iniciativas em língua portuguesa;

d) Apoiar a tradução de materiais da OMS centrados na segurança do doente e qualidade em saúde;

e) Apoiar a OMS na capacitação dos governos nacionais no planeamento, implementação e avaliação de políticas e estratégias nacionais na área da qualidade em saúde em países de baixa e média renda, principalmente, países lusófonos.

 

Atividades em desenvolvimento ou já realizadas:

a) Participação na elaboração da versão alargada e atualizada do WHO Curriculum Guide for Patient Safety, iniciativa coordenada pela OMS e pelo Imperial College team (Global Patient Safety Collaborative, Centre for Health Policy, Institute of Global Health Innovation);

b) Participação em várias reuniões lideradas pela OMS e equipas do Imperial College - Global Patient Safety Collaborative;

b) Reforço e disseminação do Patients for Patient Safety Framework junto dos diferentes profissionais de saúde e decisores políticos nos países de língua portuguesa;

c) Em conjunto com colegas da ISQua e membros do Ministério da Saúde de Moçambique, temos trabalhado no planeamento, estrutura e conteúdos de um Curso na área da Segurança do Doente e Melhoria da Qualidade em Saúde. Este curso será online (gratuito) e envolverá mais de 80 profissionais de saúde;

d) - Revisão técnica e científica da tradução para o português do National Quality Policy and Strategy Framework, já disponível no site da OMS;

e) Participação em várias reuniões, com representantes do Ministério da Saúde de Moçambique, representantes da OMS em Moçambique e em Genebra, para discutir a definição e alinhamento da Estratégia Nacional de Qualidade em Saúde para Moçambique;

f) Preparação das comemorações do Dia Mundial da Segurança do Doente.

 

 

O 1º Encontro “Minds on Quality of Care” organizado pelo Athens Quality of Care Office, Division Country Health Policies and Systems, WHO Regional Office for Europe, teve lugar nos dias 2 e 3 de dezembro em Atenas. Nesse encontro, Portugal esteve representado pelo Prof. Paulo Sousa e pelo Prof. Adalberto Fernandes da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa, pelo Prof. Fernando Araújo, Presidente do Conselho de Administração do Hospital Universitário de São João, Prof. Válter Fonseca. Diretor do Departamento para a Qualidade em Saúde - Direcção-Geral da Saúde, Dr. Alexandre Lourenço Presidente da APAH e Associação Europeia de Gestores Hospitalares, e pelo Dr. António Marques Pinto, Presidente da Associação Europeia de Jovens Médicos.

 

Compêndio de boas práticas aplicadas (pdf)

 

Consulte mais informação aqui.

 


 

Apoiar os países na adoção da Política e Estratégia Nacional de Qualidade da OMS 

 

O Coordenador do Centro Colaborador da OMS para a Educação, Investigação e Avaliação da Segurança e Qualidade da Saúde, Professor Paulo Sousa, integra o grupo de trabalho OMS / ISQua de apoio aos países na implementação da Política e Estratégia Nacional de Qualidade da OMS, com particular enfoque (mas não restrito) aos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOPS) e Timor Leste.

Alguns membros do Centro Colaborador da OMS para a Educação, Investigação e Avaliação da Segurança e Qualidade da Saúde foram responsáveis pela revisão técnica e científica da versão portuguesa do documento da OMS ”Política e Estratégia Nacional da Qualidade”.

 

Documento em pdf disponivel aqui.

 

 


A) WHO GLOBAL PATIENT SAFETY ACTION PLAN 2021-2030

Global Patient Safety Action Plan 2021-2030 pode ser consultado em:

https://www.who.int/teams/integrated-health-services/patient-safety/policy/global-patient-safety-action-plan

 

 

Após a World Health Assembly que ocorreu no dia 28 de maio de 2021, a Assembleia concordou em definir uma ação concreta para eliminar os danos evitáveis ​​decorrentes ou associados à prestação de cuidados de saúde, através da adoção do primeiro Plano de Ação Global para a Segurança dos Doentes “Global Patient Safety Action Plan 2021–2030”.

O WHO Global Patient Safety Action Plan 2021-2030 foi apresentado na 74ª Assembleia Mundial da Saúde em 2021 pelo Conselho Executivo na 148ª sessão. Este foi um marco importante na história e a sua adoção proporcionará, pela primeira vez, o estabelecimento de um plano estratégico global para a melhoria da segurança dos doentes. Para tal, foram definidos sete objetivos estratégicos, que podem ser alcançados por meio de 35 estratégias específicas. Este plano de ação dirige-se a todos os stakeholders, nomeadamente instituições/unidades de saúde, decisores políticos/governos, organizações internacionais, organizações intergovernamentais, bem como a sociedade civil.

Neste momento, a OMS encontra-se a iniciar o processo de preparação dos planos de trabalho para o WHO Patient Safety Flagship for the next biennium (2022-2023).

 O coordenador do Centro Colaborador da OMS, Prof Paulo Sousa, vai participar na WHP Global consultation - Partners in Action: Engaging stakehoders for implementing the Global Patient Safety Action Plan que se realizou nos dias 4 e 5 de Agosto de 2021.

 


B) 17 Setembro 2021- Dia Mundial da Segurança do Doente

O Dia Mundial da Segurança do Doente foi estabelecido pela primeira vez em 2019 com o propósito de chamar a atenção para a importância da Segurança dos Doentes, bem como aumentar o envolvimento da sociedade e dos parceiros nesta área. Este será o terceiro ano consecutivo dessa campanha.

 

Poderá ver todas as campanhas no seguinte link :

 

https://www.who.int/campaigns/world-patient-safety-day

 

Este ano, o Dia Mundial da Segurança dos Doentes será focado na promoção de ações globais para aumentar a segurança materna e cuidados neonatais - Act now for safe and respectful childbirth!”

A Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa, como Centro Colaborador da OMS Collaborating Centre for Education, Research and Evaluation of Safety and Quality in Healthcare irá celebrar, mais uma vez, este dia com um evento público.

 

Objetivos do Dia Mundial da Segurança do Paciente 2021:

 - Aumentar a consciência global acerca de questões de segurança materna e neonatal.

- Envolver os diversos stakeholders e adotar estratégias efetivas e inovadoras para melhorar a segurança materna e neonatal.

- Apelar a ações urgentes e sustentáveis ​​por parte dos diversos stakeholders para aumentar os esforços, alcançar as metas não atingidas e garantir cuidados maternos e neonatais seguros, especialmente durante o parto.

- Defender a adoção de melhores práticas para prevenir riscos evitáveis ​​e danos nas mulheres e recém-nascidos durante o parto.

 

Mais informação no seguinte link :

https://www.who.int/news-room/events/detail/2021/09/17/default-calendar/world-patient-safety-day-2021

 

 

Links relacionados